sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Vamos nos curar em 2011

Está feito um pacto (com todas, queiram ou não queiram, ok?): nós vamos nos curar do vaginismo em 2011. O próximo ano começa em poucas horas, e nele nos livraremos dessa disfunção que nos traz tanta dor, tanto constrangimento, tanto medo, tanto desprazer, tanta perda.

Chega! 2011 é o ano da cura. E nós estamos no rumo dela. Felicidades, força de vontade e coragem para todas nós. Nós merecemos ser felizes. E seremos!

Beijos


Observação: Para quem pergunta pelos dilatadores, o site em que fiz a compra é o www.pureromance.com. Mas há posts antigos aqui no blog com vários endereços.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Vaginismo arruina casamentos

Li no Twitter: o vaginismo arruina 3 em cada 10 casamentos. Achei o número muito alto. Mas, como normalmente o vaginismo é segredo, quem sabe não é verdade? Bem, comigo foi. Mas é importante dizer que cada caso é um caso e que tenho lido muitas histórias de superação, a dois.

E mais um site traz informações sobre vaginismo:

http://www.romanegocios.com.br/relacao-e-sexualidade/16172-mulheres-vaginicas

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Ansiedade demais

Outro site que falou sobre vaginismo com um destaque interessante: tratando a questão da ansiedade. Levante a mão aí quem é ansiosa? Eu sou muito. Sempre fui. Conte por aqui seus sentimentos quanto a isso (se se sentir à vontade, óbvio).

Bem, o link é http://falandodesaudeebeleza.blogspot.com/2010/10/vaginismo-x-ansiedade.html.

Bjs pra vcs

Mais sites

Amigas,

Saudades de vocês. Vi que tem gente nova aqui no pedaço e amei ver novos comentários. Sem digo isso, mas acho importante repetir: não sumam. Suas histórias são esperança, e vocês sabem o quanto é bom ter certeza de que não somos as únicas a sofrer com vaginismo e encontrar relatos de cura.

Há mais sites com informações sobre vaginismo, tratamento e coisas do tipo. Alguns são bem suscintos, simples, mas toda informação/divulgação é válida, não é?


http://www.fotosantesedepois.com/2010/10/20/vaginismo/
http://www.vivianeabreu.com.br/?section=detpisico&cod=7
http://falandodeintimidade.wordpress.com/2010/10/15/vaginismo/
http://delas.ig.com.br/colunistas/prazeresexo/dores+durante+a+penetracao/c1237811349315.html

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Um ano de blog

Amigas,

Este blog fez um ano no último dia 17. Parece que foi ontem que tive a ideia de relatar o que sentia e pensava a respeito do vaginismo de uma forma que não fosse me expor. Ainda tenho muito receio sobre isso. O preconceito é grande quanto às pessoas que, voluntariamente ou não, não têm sexo em sua vida. Percebo isso em comentários deixados em resposta a pessoas que buscam ajuda em chats ou sites de perguntas. Uma pena, porque só quem passa por isso (especialmente em casos como o nosso) sabe o sentimento, a frustração que essa situação provoca.

Durante dias só eu visitava este blog. Mas aos poucos fui assistindo a um aumento no número de visitantes, ainda que anônimas como eu. E fui vendo nascer, a partir daqui, outros blogs, outros relatos, relatos de cura. Eu ainda não cheguei a esse ponto, e a responsabilidade disso é minha, em função da desistência. Já falei aqui que o fato de estar sozinha me desmotiva. Penso em voltar a me exercitar para que, até o segundo aniversário do blog, eu possa trazer uma boa notícia.

Deixo aqui um grande abraço a todas as amigas que vi surgir neste espaço. Pessoas que abriram seus corações pra mim (e pra quem eu também abri o meu coração) e com quem inclusive já comemorei o fato de terem superado o vaginismo. Só peço que não sumam, porque aquelas que estão curadas também são uma ajuda e tanto pra quem continua na luta. E comentem mais nos posts, divulguem os blogs nos grupos de terapia ou com os profissionais que as atendem. E tomara que um dia a mídia que abra ou descubra a responsabilidade social que é divulgar melhor o vaginismo, um dos objetivos deste blog. Ainda que eu não alcance a cura, quero a superação para todas as que, como eu, sofrem com este problema.

Grande abraço,

Amor Perfeito

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O IG falou da nossa rede de blogs

Amigas,

A dr. Fátima Protti, que sempre foi atenciosa comigo e com esse blog, falou da rede de blogs que se formou para troca de experiências sobre vaginismo. A mênção foi feita num texto para o site Delas, do IG, em que uma leitora perguntava sobre não ter relações sexuais, e hoje, já separada, ter medo de se relacionar novamente.

O link é este aqui: http://delas.ig.com.br/colunistas/prazeresexo/poucas+mulheres+conhecem+o+vaginismo/c1237773982677.html.

Obrigada mais uma vez, dra. Fátima, por ser uma divulgadora desse problema que afeta tantas mulheres e pouco é falado na mídia.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Entrevista

Amigas,

Conversei com Priscila Gouveia, do Projeto Afrodite (post anterior), e pedi autorização para postar aqui as respostas das perguntas que fiz a ela. São dúvidas que sempre tive, especialmente a respeito da fisioterapia ginecológica. Priscila foi muito atenciosa. O resultado desse bate-papo via e-mail está aqui. Espero que ajudem vocês também. Grande beijo a todas. E um beijo especial para Priscila.


1) Os exercícios são feitos com o fisioterapeuta ou ele só orienta e a mulher faz em casa?
Os exercícios são realizados em terapia, junto com o fisio, que também orienta os exercícios domiciliares. No vaginismo, é fundamental a paciente se empenhar e seguir na medida do possível, as orientações. Digo na medida do possível porque afastar os grandes e pequenos lábios vaginais durante a higiene íntima, introduzir uma falange do dedo, um OB, parece ser algo tão simples, mas para a mulher vagínica, é algo muito difícil e doloroso psicologicamente.

2) Que tipo de exercício é feito?
Normalmente, dessensibilização. A paciente deita na maca e aos poucos, na medida que a paciente permite e a ansiedade e nervosismos diminuem, o fisio encosta na perna, períneo, tenta afastar grandes e pequenos lábios, encosta na entrada da vagina, objetivando introduzir ao menos dois dedos inteiros no canal vaginal, alongamento da musculatura vaginal. Mas até chegar nesse ponto, são necessárias algumas sessões, mas é claro, cada caso é um caso. Há pacientes com um grau importante de vaginismo e outras, mais leve. Com o tempo, o fisio orienta o uso de próteses penianas, exercícios sexuais com o parceiro, até que ela consiga uma penetração peniana completa, e assim por diante.

3) Que aparelhos ou objetos são usados?
O fisio pode lançar mão de absorventes internos, pode fazer eletroestimulação, e etc, mas não há nada melhor do que suas mãos. O toque é fundamental!

4) Qual é o tempo e a periodicidade das sessões? Qual a duração do tratamento?
A sessão dura cerca de 30min, que deve ser realizada 1 a 2x/sem. O tempo de variação de tratamento depende de cada caso. Algumas pacientes conseguem penetração vaginal em 5 sessões enquanto outras, podem chegar a 30 ou mais. Depende do quão severo é o vaginismo e quais os tabús, preconceitos acerca de sexo e toda a bagagem familiar e pessoal que a paciente trás (vale lembrar que muitas são as vagínicas que, tristemente, passaram por moléstias, abusos e estupros e essa é a origem do vaginismo em muitos casos, e precisa ser avaliado com cautela).

5) Qual o valor (médio)?
No Hospital São Paulo é gratuito, e no consultório, cerca de R$80,00 a R$100,00 a sessão.

6) Como faz a mulher que não consegue introduzir nem o dedo ou o OB?
Vamos trabalhar isso no consultório, e com o tempo, ela conseguirá, com certeza.

7) Como vocês profissionais lidam com o fato de as mulheres se sentirem constrangidas?
Todas as mulheres ficam constrangidas ao ir ao ginecologista. Isso é super normal. A vagínica fica ainda mais: fica tensa, nervosa, chora, e nada melhor do que uma boa conversa e orientação de todas as suas dúvidas para que ela se sinta segura e queira ir para a maca. Em alguns casos, na primeira sessão a paciente está tão nervosa que acaba nem indo para a maca, até que se sinta segura. Entretanto, a vontade de melhorar e superar o vaginismo é tão grande que ela se acalma para que o tratamento possa ser iniciado.

Qualquer dúvida, estou à disposição!
Abraço,
Priscila

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A pedidos, eu publico... dica para que mora em SP

O Hospital Paulista de Medicina, através do Projeto Afrodite, oferece tratamento gratuito para mulheres com disfunções sexuais, ou seja, mulheres com dimunuição ou ausência de desejo sexual, com disfunção de excitação (embora tenham suficiente estímulo sexual não alcançam suficiente lubrificação vaginal), mulheres com anorgasmia ou disfunção orgásmica (não alcançam ou tem dificuldade de alcançar o orgasmo), mulheres com dispareunia (dor durante a relação sexual) e mulheres vagínicas (são pacientes em que ocorre uma contração do canal vaginal que impede a relação sexual). A pessoa interessada deve ligar para o Ambulatório de Sexualidade da Universidade Federal de São Paulo- Escola Paulista de Medicina. A mesma passará por duas aulas sobre sexualidade e em seguida fará a avaliação e tratamento com ginecologistas, psicólogas e fisioterapeutas, dependendo da disfunção apresentada.

Comunidade no orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=98095130

VAGINISMO TEM FIM, SIM!!! Dependendo do caso, a fisioterapia tem uma atuação muitíssimo importante e eficaz, e em outras situações, é realizado um trabalho psicológico associado.

Ambulatório de Sexualidade
Rua Embaú, 66, Vila Clementino.
Fone: 5549-6174.
O tratamento é GRATUITO!!

Dra. Priscila Gouveia
Fisioterapeuta do Projeto Afrodite
Mais informações, direto comigo: benditasmulheres@yahoo.com.br

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Novos vídeos no youtube

Olá, amigas! Espero que estejam bem!

Este vídeo é em espanhol, mas compreensível. http://www.youtube.com/watch?v=XVTdQL477_8&NR=1

Este aqui é da Rede Minas. Vale conferir: http://www.youtube.com/watch?v=6u_htxMFGs8


Abraços e não sumam! Mandem notícias.

sábado, 31 de julho de 2010

Oi

Oi a todas as amigas!

Eu sei que estou sumida. Mas não é falta de vontade de falar com vocês. Não mesmoooo. É falta de tempo. E por falar em tempo, há muito que eu não faço exercício nenhum. Não tenho sentido vontade alguma. Sei que isso é ruim, que o exercício é a chave para minha cura (e a de todas nós), que deveria ser algo com horário fixo, como um remédio, uma consulta. Mas tenho me sentido em baixa nesse quesito (sexualidade). Difícil explicar, mas acho que vocês, em algum momento, já sentiram isso ou, se não sentiram (espero que não), compreendem.

Saudades de todas. Prometo voltar logo. E contem o que têm feito...

Abraços.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Tese de mestrado

Oi, amigas!

Saudades de todas. Fiquei muito feliz em descobrir uma tese de mestrado sobre vaginismo. É da psicóloga Melina Serra. Vale muito a pena ler, porque fala sobre a qualidade de vida das mulheres vagínicas. Parabéns a ela pela iniciativa.

O link para acessar é http://www.radarciencia.org/vaginismo/.

Confiram e apareçam!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Vale a pena: You Tube

Uma nova amiga comentou que soube do vaginismo depois de assistir a um programa de TV no SBT, que passava bem tarde aos domingos. Descobri no You Tube essa mesma apresentadora (Carla Cecarello) no programa Sexual Mente, do "canal" Just TV.

Pra conferir acesse http://www.youtube.com/watch?v=Y39FiEDrIZ0.

Parabéns, Carla, por tratar de temas tão importantes e tão pouco discutidos abertamente na mídia.

domingo, 18 de julho de 2010

Sobre o medo e a cura possível

Texto postado por um médico na última sexta-feira. Simples e diz tudo - chttp://drleonardomessa.blogspot.com/2010/07/vaginismo.html

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Gostei bastante

Achei interessante esse texto, que é bem simples e resume tudo sobre vaginismo.

http://www.poderdasmaos.com/site/?p=Vaginismo13387

Saudades de todas. Não sumam!

domingo, 4 de julho de 2010

No Orkut

Olá de novo!

Atualizei meu perfil no Orkut e a comunidade Sofro com Vaginismo. Há vídeos e fotos. Participem!

Beijos a todas.

Mais uma amiga e mais um relato de cura

Amigas,

Conheci Vida, mais uma amiga que quer ajuda. Também há pouco li no blog de Soraia que ela conseguiu a penetração completa. São dois lados de uma história que nos une: a pessoa que descobre o vaginismo e aquela que se cura. Eu ainda estou no meio. Espero passar logo para a cura. Aliás, espero que todas nós passemos.

Abs e saudade de todas,

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Mais um texto interesssante

Abraços, amigas e amigos!

Achei esta reportagem, de dois anos atrás, bem interessante. Simples e diz tudo. No link http://cyberdiet.terra.com.br/vaginismo-o-problema-desconhecido-5-1-4-329.html.

Abraços pra todos, e mandem notícias

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Vaginismo no YouTube

Meninas,

A sumida aqui aparece pra dizer que está com saudades de todas. Espero que estejam bem (inclusive as novas amigas Nataly e outras que não se identificaram) e mandem notícias, contem seus progressos e dúvidas.
Não tenho ainda as notícias que quero dar em breve, mas divido com vcs que um vídeo que fala sobre vaginismo foi postado no YouTube. O link é http://www.youtube.com/watch?v=vW-_jBcmTOA.

Beijos a todas

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Companheiro faz falta?

Um companheiro faz falta para quem tem vaginismo? Pra mim faz. Sinto que não ter ao meu lado alguém que ame tem sido uma forma de deixar de lado os exercícios. Sinceramente eu penso: "Fazer exercício pra quê?". Eu sei, amigas como a Dani falam que quando eu encontrar alguém eu preciso estar preparada, resolvida quanto ao vaginismo, mas na prática a teoria cai por terra. Será que alguma de vcs passa pela mesma situação, sente a mesma coisa? Ou faz justamente o contrário de mim? Espero respostas.

Beijos a todas

sexta-feira, 21 de maio de 2010

E mais e mais pessoas aparecem...

Continuam aparecendo pessoas com vaginismo e com relatos de dor e sofrimento. Não podemos deixar essa nossa rede acabar.

Eu, por exemplo, ando desanimada em fazer exercícios. Minha amiga Dani tem me cobrado até! Mas acho que a falta de um parceiro atrapalha, no meu caso. E você, a quantas anda com sua busca pela cura? Tem pesquisado, feito exercícios, ido a médicos? Conte e ajude a todas nós!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Fim do sumiço

Ei, amigas e amigos!

O meu sumiço aconteceu devido a um contratempo de força maior, mas sem nada grave. O importante é estar de volta. Algumas pessoas entraram em contato na busca de ajuda. Eu mesma preciso me ajudar, aliás, porque não tenho feito os exercícios. Confesso que parar no dilatador rosa (penúltimo do kit) foi um balde de água fria. Mas preciso entender que obstáculos existem pra ser vencidos.

E vocês, estão fazendo os exercícios? Têm buscado mais informações? Ido ao médico e ao terapeuta? Fiquei feliz ao visitar o blog Soraia e o Vaginismo (http://soraiavagi.blogspot.com) e saber sobre a fisioterapia ginecológica, que sempre me deu muita curiosidade.

Dividam aqui suas experiências. Não vamos deixar morrer essa rede de amizade que se formou com um objetivo tão bonito de fazer as pessoas se superarem e terem uma vida mais plena. Quem sabe esse assunto não ganha o destaque que merece para evitar mais sofrimento ou por menos tempo?

Abraços a todas (e todos, porque há homens que visitam nossos blogs também).

domingo, 2 de maio de 2010

Mais um texto informativo

Há pontos de que discordo, mas há informações importantes a respeito, como sobre ter vaginismo secundário. Acesse:

http://idmed.com.br/Saúde/Saúde-de-A-Z/vaginismo.html

quinta-feira, 29 de abril de 2010

IstoÉ... muito esclarecedor!

Vale a pena ler:
http://www.istoe.com.br/reportagens/detalhePrint.htm?idReportagem=3960&txPrint=completo

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Ansiedade e vaginismo

Amigas,

Um dos traços que tenho notado ser comum a todas nós é a ansiedade. Claro, umas de certo modo, em um grau; outras de outro jeito e outro nível. Pesquisando, encontrei um site bem específico (acho que é para terapeutas). Vcs sabem que não nunca colei aqui trechos de sites, dou só o link. Mas vou fazer isso porque acho que a informação é importante para nós (segue o texto abaixo). A referência é esta:
http://www.eric-jacob.com/malapedia/forum-ansiedades+sexuais+fantasias+erogenas+sonhos+sexuais-pt-F66.11-1180-de+saude.php


Ansiedades que são a base da desordem sexual. Temos de identificar a natureza das ansiedades e em que nível estão. Os níveis são de superficial a profundo, ou seja, temos de ir ansiedades no superficial (perto de consciência) para o inconsciente ansiedades mais.No que diz respeito à natureza e às diferentes formas de ansiedade, observamos o seguinte.

Ansiedades superfície

Essas ansiedades, muito bem descrita na literatura, comportamento, às vezes servem para mascarar a ansiedade. Aqui estão os principais.

1) Desempenho ansiedade ou medo do fracasso sexual: bem descrito por Masters e Johnson (1971) com o despertar do sexo masculino, a ansiedade é determinada por um medo de incompetência, para não ser igual. Impotência resultante pode também ocultar um medo do sucesso (Kaplan, 1979) (mais profunda ansiedade). Nas mulheres, o medo de não ficar animado, esperando que o orgasmo também pode estar presente.

2) Ansiedade e angústia superego de culpa. É o sentimento de fazer algo inadequado.Existe uma auto-censura, a proibição de que pode ser facilmente verbalizado, porque isso é algo como o consciente ou pré-consciente. No entanto, a auto-censura pode ter raízes mais profundas. Assim, no abuso sexual, incesto, se houver culpa sobre o prazer obtido, pode levar a um comportamento masoquista componentes da expiação. Aqui, o sujeito tenderá a posicionar suas fantasias eróticas no contexto de humilhação.

3) A ansiedade de perder o controle: ansiedade é comum entre as mulheres e um medo de deixar ir, o risco de ser confundida com uma prostituta ea anorgasmia, onde se adotar uma atitude de um espectador.

4) Medo da dor. é mais comum em mulheres. Para o vaginismo, por exemplo, seria proteger as mulheres contra o medo do sofrimento, da destruição do corpo.Esse medo pode esconder o medo da separação da mãe (mais profunda ansiedade).

domingo, 25 de abril de 2010

Matéria sobre programa de ajuda

Achei muito legal essa iniciativa, que alia fisioterapia, psicologia e sexologia.
Se eu morasse em SP, correria atrás:
http://www.tvcanal13.com.br/noticias/fisioterapia-contra-dor-na-relacao-sexual-100320.asp.

Abraços,

Vaginismo = cinto de castidade

Um texto publicado no site Salada Médica compara o vaginismo a um cinto de castidade psicológico. Nunca havia pensando nisso, só sei que quero encontrar logo a chave do meu, aliás todas queremos! Quem quiser conferir o texto deve acessar http://saladamedica.wordpress.com/2010/04/24/vaginismo/.

Abraços,

domingo, 18 de abril de 2010

Vitória adiada

Amigas e amigo,

Pensei muito antes de trazer pra vocês esta notícia. Tive medo de desanimá-las(lo) de alguma forma. Mas, ao mesmo tempo, lembrei que criei este blog justamente para falar sobre as minhas frustrações, meus medos, minha caminhada rumo à cura para que casos como o meu não se prolonguem por tanto tempo e não terminem como o meu. Sinceramente, continuo desejando isso e sempre desejarei.

Mas é que, ao tentar um novo dilatador (o penúltimo da escala, de cor lilás), não consegui. Eu sei que tenho de ter paciência, e tenho tido. Mas dá uma frustração, sabe? Diante das últimas conquistas, eu pensava mesmo que passaria por mais essa etapa facilmente. E não foi assim.

Fiz os exercícios com os dois dilatadores menores que esse novo, usando gel lubrificante. Tudo tranquilo. Só que, ao tentar o tal dilatador, a "parede" se formou. Não entrou nada. Fiquei calma, pensei positivo e tudo mais, tentei de várias formas, mas não foi mesmo.

Aí, voltei nos dilatadores anteriores, consegui fazer os exercícios com eles, e de volta ao maior não entrou. Acabei terminando os exercícios e volto a tentar amanhã.

Era isso que queria contar a vocês. E, pensando bem, preciso aceitar que nem tudo é de primeira (o que chega a ser uma ironia, pensando em quanto já tentei). Momentos difíceis vão continuar acontecendo, no meio de outros bons. E eu não posso me deixar vencer. Nunca. E nem vocês.


Bjs

quarta-feira, 14 de abril de 2010

E como eles devem agir?

Amigas e amigo,

Sim, isso mesmo: pela primeira vez (que eu saiba), este blog recebeu a visita de um homem, companheiro de uma mulher que tem vaginismo. Companheiro no real sentido da palavra, pelo que pude perceber no comentário deixado no post anterior.

Já falei aqui sobre os homens de mulheres com vaginismo (veja post feito em 19/12 que se chama "O parceiro"). Sei que sofrem muito, embora seja um sofrimento diferente do nosso, claro. Mas a angústia e a frustração fazem parte da rotina deles também.

O amigo perguntou como proceder, o que fazer. Eu não tenho resposta pronta, técnica pra isso. Mas uma coisa eu sei: apoio é fundamental. Apoiar a sua companheira, conhecer o que é vaginismo, entender que não é algo que só ela tem (como eu e muitas chegamos a pensar!), que é um problema que afeta a muitas mulheres que sofrem caladas. E que não é frescura: é uma contração involuntária, algo que nem nós sabemos por que acontece.

Ir a médicos e terapeutas com ela (ou dela, em momento separado, se assim o casal preferir), ajudar nos exercícios físicos e psicológicos e buscar informação na internet e em blogs como esse ajudam muito. Penso que se meu ex-marido tivesse tentado entender o que eu passava/passo teríamos nos unido em prol da superação e, consequentemente, de uma vida feliz.

Em tese, pode até ser que o problema do vaginismo seja da mulher. Mas a luta pela cura não precisa ser somente nossa. E todos nós sabemos, amigo e amigas, que uma conquista a dois é muito melhor do que uma vitória solitária.

Amigo, conte sempre conosco. Se quiser falar em particular (embora aqui o anonimato seja garantido e tenhamos formado realmente uma rede de amizade e partilha, acolhimento), fique à vontade. O e-mail é amorperfeito92@gmail.com.


Bjs a todos!

Acho prudente dizer

Amigas,

Aproveitando as perguntas sobre os kits, acho que é legal falar: não faço propaganda ou apologia dos dilatadores. Acho sempre bom que se procure ajuda profissional (de ginecologista, principalmente) pra se tratar de vaginismo.

No meu caso, procurei a ginecologista, que como todas sabem me "vendeu" a ideia de que com a retirada do hímem meu problema estaria resolvido (quem me dera). Só depois procurei uma sexóloga que me explicou dos exercícios e falou sobre esses kits, que, muito tempo depois, encontrei.

Encontrei, encomendei, esperei, reencomendei, esperei de novo e veio. E pra mim tem sido ótimo. Porque, apesar de estar consciente de que não estou tratando a causa, o que me gerou isso, me dá confiança de que não sou "fechada", que aos poucos vou conseguir introduzir algo semelhante a um pênis, como qualquer mulher comum. A cada etapa vencida, sinto menos medo. Tenho vivenciado isso na prática.

Os dilatadores, aos poucos, me mostram que sou capaz. Sinceramente não sei como será caso eu venha a ter um relacionamento. Se vou "travar". Mas com certeza estarei mais segura por saber que algo pode ser introduzido em mim (há alguns meses, temia que isso nunca me acontecesse).

É isso, gente! Pra mim, os dilatadores funcionaram. Pra mim, que estou sem parceiro e sem grana pra terapia, o investimento de US$ 85,00 (R$ 150,00 mais ou menos) e R$ 130,00 (Correios) valeu a pena. Foi meu presente de Natal pra mim mesmo. E foi melhor do que eu poderia imaginar (só não é melhor porque eu tenho falhado na frequência dos exercicios...).

Bjs, meninas

domingo, 11 de abril de 2010

IstoÉ... muito esclarecedor!

Vale a pena ler:
http://www.istoe.com.br/reportagens/detalhePrint.htm?idReportagem=3960&txPrint=completo

sábado, 10 de abril de 2010

E mais uma etapa (dilatador) vencida(o)




Meninas,

Tudo bem? Eu vou mais devagar do que gostaria, mas consegui vencer mais um dilatador: o quarto da minha escala. Continuo sem lubrificante, por isso não foi fácil, fácil, mas deixei o dilatador na água morna um bom tempo, me concentrei e aos poucos foi.

A cada exercício, faço pelo menos com o dilatador anterior pra não desanimar. Desta vez, fiz com os dois anteriores. E até o terceiro foi difícil de introduzir. Mas eu estava com um pensamento firme: "Eu vou conseguir". "Vai entrar" "A vagina é feita pra isso..."

E foi. Esse dilatador "novo" na minha rotina até doeu um pouco quando já estava lá dentro (deve ser porque é mais comprido), mas eu pensei: "Daqui a pouco eu não vou nem lembrar que está aí dentro" e foi assim mesmo...

Agora só faltam dois nessa escala do kit. E eu quero fazer exercícios mais frequentes, não esperar tanto entre as sessões. E vou fazer isso. E comprar lubrificante, claro.

Bjs, meninas, e não sumam!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Saudade... e feliz Páscoa!

Meninas,

Passo por aqui pra confessar a saudade que venho sentindo dos tempos em que "conversávamos" mais. Espero que essa calmaria em nossos blogs seja apenas resultado da correria do dia a dia e que esteja tudo bem com todas vcs!

Bjs e uma Páscoa bem doce

segunda-feira, 29 de março de 2010

Tudo azul!

Meninas, amigas!

Tudo azul, viu? Passei para uma nova fase dos exercícios com dilatadores e já estou no azul clarinho (3ª da escala). Tô mais devagar do que gostaria e confesso que por pura falta de organização e/ou vontade, porque toda vez que tento um dilatador novo eu consigo.

Agora, quero melhorar ainda mais.


Bjs a todas. Enviem notícias!

domingo, 28 de março de 2010

Novas visitantes

Meninas que apareceram recentemente,

Sintam-se mais que à vontade para participar, viu? Se não quiserem falar diretamente aqui (embora o espaço seja aberto e bem discreto), podem mandar e-mail para amorperfeito92@gmail.com.

Bjs a todas, novas e velhas amigas!

quarta-feira, 17 de março de 2010

Pompoarismo e fisioterapia

Não falei que voltaria logo? Pois, é. Desde o começo das minhas pesquisas sobre vaginismo, tenho visto que a fórmula mais sugerida é: psicoterapia + ginecologista (+ paciência + força de vontade + persistência, claro!) = cura.

Mas há quem sugira outras opções (ou reforços à fórmula). Pompoarismo e fisioterapia uroginecológica são duas delas. Tenho muita curiosidade, mas ainda não tive coragem de encarar. Na minha cidade, de vez em quando há um curso de pompoarismo durante um fim de semana. Mas quem disse que tenho cara de chegar lá e falar: "Vim porque não consigo ter relações sexuais?" (sou uma idiota completa).

O mesmo acontece com a fisioterapia. Já tirei dúvidas com uns três profissionais, via internet. Minha pergunta é: precisamos fazer os exercícios na frente deles? Um deles, que foi um fofo comigo pela internet, falou que nas primeiras sessões, pelo menos, sim.

Meninas, se tiverem detalhes a respeito dessas terapias, por favor, me avisem. Se já tiverem feito, souberem de algo, será muito útil a mim e, tenho certeza, a todas nós!

Bjs a todas

Aqui, link de pompoarismo:

http://www.lusomontreal.com/index.php?option=com_content&view=article&id=1003:pompoarismo-o-que-e&catid=103:artigos-tabs

Mais um site fala de vaginismo

Olá, amigas!

Sim, estou sumida. Mas passando sempre por aqui, lendo vocês...

Hoje, achei mais uma página com informações sobre vaginismo. É um texto breve, mas segue o link pra vocês mesmas conferirem:
http://gpointboutique.wordpress.com/2010/03/15/vaginismo-provoca-dor-e-falta-de-desejo/

Prometo que volto logo.

Mil beijos,

segunda-feira, 8 de março de 2010

Feliz Dia da Gente!

Olá, mulherada!

Hoje é o nosso dia e eu proponho: façamos, agora, um pacto. Um pacto de cura. De amor. Amor por nós mesmas. Agora, mais do que nunca, vamos buscar nos ver livres deste problema que tanto nos frustra, incomoda, perturba, inibe, humilha, tira o sono, tira a graça, tira o humor, tira os sonhos, derruba a autoestima... o vaginismo.

Hoje é o Dia Internacional da Mulher. E a gente sabe MUITO bem que ser mulher é difícil. Mas é maravilhoso. E nós somos mulheres pra caramba! Então, gente, é a nossa hora. É a nossa vez. Nada de adiar, arrumar desculpas, ter medo. Esqueça o medo. Somos MUITO capazes.

Sei que ainda temo MUITO não ser mãe. É meu grande sonho, aliado a ter uma família. Sofro MUITO com isso. Não tenho vergonha de dizer: choro quase todos os dias pensando nisso, desejando o dia em que essa solidão que toma conta do meu peito, ao mesmo tempo silenciosa e ensurdecedoramente, vai desaparecer. Não sei se isso vai se realizar (peço a Deus uma luz!), mas vaginismo eu não quero mais ter. Ainda que fique pra sempre sozinha. Não quero mais isso pra mim.

E vocês? Eu sei a resposta, mas digam, em alto e bom som, alma a dentro...

Bjs

segunda-feira, 1 de março de 2010

Ainda bem que não contei...

Amigas,

Vocês sabem que tenho muita, mas muita dificuldade em contar sobre o fato de ter vaginismo a pessoas que conheço (porque a médicos não tenho vergonha... sinceramente). Enfim, só meu ex sabia por mim (ele contou à mãe, à irmã e nem quero imaginar mais a quem... mas foi ele quem contou, e eu quase morri ao saber que elas sabiam).

Enfim, hj tive certeza de que foi bom nunca ter contado à minha mãe. Fui comentar uma dor banal, e ela disse que eu era "frouxa", que nada se compara à dor de ter um filho e tal (ela seeeemppreee fala isso!! Humpf!)

Diante da situação (inesperada!!), falei que não sabia mesmo o que era essa dor, que nunca a sentiria (ai, gente, não quero desistir de ser mãe, mas na hora soltei isso, com toda força!). E ela respondeu que ainda bem que minha ex-sogra ia ter netos de outros filhos, já que eu não dei isso a ela...

Caramba, dois socos no estômago em um segundo... e olha que eu me dou bem com minha mãe! Não sei de onde ela tirou "tantas pérolas". Fiquei imaginando se ela soubesse que eu nem sequer fazia sexo (de verdade ??) com meu marido. Iria me crucificar mesmo, né, e depois jogar sal e vinagre para ficar melhor...

Eu, que já ando "dolorida", coloquei mais um item à minha coleção (meninas, desculpem o desabafo, mas eu precisava muiiiittooooo :( )


Bjs

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Sabe o rosa? Eu consegui!

Meninas,

OK, não voltei na quinta... Mas hoje, dois dias depois, tenho uma boa notícia. Boa não: ótima! Eu consegui fazer os exercícios com o dilatador rosa (o segundo da "escala", mais grosso que um dedo - diria igual a um dedo médio de homem. Não riam, gente, é difícil comparar essas coisas! hahahahaha).

Assim como fiz com o amarelo, coloquei na água quente/morna e depois passei lubrificante. Antes, aliás, fiz o exercício com o amarelo. Parecia estar mais "estreita" hoje. Até pensei em adiar a introdução do rosa. Mas pensei: não, caramba, já é tempo de mudar, testar...

Comecei a introduzi-lo, devagar, e ele foi indo, indo... até chegar ao fim (já contei que, na base deles, há um círculo, ou seja, a gente não precisa se preocupar se ele vai deslizar lá pra dentro... kkkkkk).

Gente, foi tranquilaço. Fiz os exercícios (movimentos pra frente e pra trás e rotatório) e foi tudo bem. Nem preciso dizer que estou muito feliz. Mas eu estou!!

Na hora de guardar os dilatadores, pensei: ai, nem vou olhar o próximo pra não ficar pensando que é maior e tal. Mas não resisti! Mesmo assim, continuarei no rosa por um tempo antes de passar pro azul clarinho!!

Minha lição disso tudo: vaginismo é medo. A gente tem medo porque acha que vai doer. Não dói se a gente pensar que não dói. E não vou enganar vocês, amigas: não dói messsmoo.

Bjs a todas! Ótimo fim de semana

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Pouco para ir para o rosa...

Voltei aos exercícios, mas ao pegar os dilatadores ainda não senti firmeza de ir pro rosa (2º na escala da evolução... ehehehe). Continuei no amarelo (lembram-se, o que tem a grossura de uma caneta mais ou menos). Dessa vez, estava menos inspirada (e com nada de lubrificante), mas coloquei o dilatador na água morna por um tempo (como fala o fabricante), tentei relaxar e inseri (sem espelho nem nada), meio em pé mesmo. E foi direto de novo.

Eu estou no último dia do meu período menstrual e não sei se isso fez diferença, mas senti um ligeiro ardor (seria a falta de lubrificante?? Provavelmente!). Mesmo assim, fiz os movimentos indicados (rotatório horário e anti-horário, pra frente e pra trás), deixei um pouco na vagina e terminei minha ginástica do dia.

Farei assim, todo dia, mesmo sem tanta vontade. Quem sabe amanhã não animo no rosa, né? Mas, antes, passo na farmácia pra comprar o lubrificante.

Bjs a todas! Até amanhã (ou quinta)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

5 meses, 50 posts e 10 seguidores

Meninas,

Em menos de meia hora, este blog completa cinco meses. De lá pra cá, são quase 50 posts e 10 seguidoras(es?) e muita história pra contar. Sim, porque seja do lado de cá (eu) ou do lado daí (vocês), o que não falta é história, né? Tudo o que eu quero é que, cada vez mais, elas sejam compostas por risos, conquistas e superação que por lamentos, tristeza e frustrações.

E uma coisa eu digo: o "contato" com vocês só me ajudou. K. me dá esperança de estar logo logo como ela, curadíssima, realizada e feliz, disposta a superar outros obstáculos que nada têm a ver com vaginismo. Amada e Dani reforçam a necessidade de eu estar sempre na luta, como elas, em busca da cura. E Ane, Bian, Butterfly e Permitir-me, as mais novas por aqui, também renovam minhas expectativas, me fazem lembrar de detalhes, repensar certos acontecimentos, tudo em prol de dias melhores. Paula, Fada e Ale, obrigada pela presença... sintam-se bem-vindas para participar quando tiverem vontade.

Turma, muito obrigada! Por me ouvir. Por me ler. Por contar comigo. Por abrir o coração e partilhar algo tão íntimo. E por me cobrar quando eu perco o ânimo (podem continuar fazendo isso, tá, amigas? rs)

Bjs a todas. E que venham mais 50 posts...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Tempo e privacidade

Amigas,

O título desse blog é pra justificar minha "sumida" daqui: tempo e privacidade são duas coisas hipernecessárias para quem precisa fazer exercícios pra vencer o vaginismo. O primeiro estava em falta, mas, com esse feriadão, até tive de sobra. Já o segundo item tá em falta mesmo por aqui e sem tranquilidade não rola, né?

Assim que puder, volto a relatar tudinho aqui no blog. Será nesta semana.

Grande beijo a todas!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O 1º teste...

Fiz o primeiro exercício utilizando um dilatador. O menor, claro, o amarelo da foto. E o resultado foi... ÓTIMO!

Tudo bem que o dilatador é bem pequeno (tem a grossura de uma caneta). Mas o que importa é comemorar, né?


Lavei o dilatador com água morna, passei lubrificante sobre ele e introduzi na vagina. Foi praticamente direto! O legal desse kit é que cada dilatador tem uma base redonda (com o absorvente, tinha de ficar segurando a cordinha). Isso dá mais segurança. Além disso, por ser de silicone, desliza melhor que o absorvente.

Depois da penetração, continuei com o dilatador uns 8 minutos, sem incômodo. Antes de retirá-lo, fiz movimentos para frente e para trás e circulando nos sentidos horário e anti-horário (o "manual" do kit diz isso).

Agora, não sei se o exercício de hoje será de novo com o amarelo ou se passo pro imediatamente maior logo. Depois conto os detalhes. Gente, a cura está próxima (pra todas nós). Eu acredito nisso!


Bjs a todas

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Os dilatadores chegaram!!! - parte 2




Este é o kit que tanto esperei. É bonitinho, né? E vai funcionar, tenho muita fé nisso. Torçam por mim, amigas!

Os dilatadores chegaram!!!

Tô que nem criança que ganha o presente que queria no Natal: os dilatadores que encomendei dos EUA chegaram!

Depois de quase 2 meses e um extravio do 1º kit, os dilatadores estão nas minhas mãozinhas... São seis: de um bem pequeninho (mais fino que uma caneta) até o maior (do tamanho médio de um pênis). E cada um é de uma cor (hahahahaha).

Sobre a caixa - Dani e outras amigas me perguntaram: mas será que é discreta? Então, a resposta vai pra vocês, meninas!! É hiperdiscreta. Primeiro que a caixa de fora é aquela padrão correio: marrom. Não tem como saber mesmo. E a do produto, que só vê quem abre, é rosinha, bem mulherzinha, e branca. Uma graça!

Tudo bem que é investimento. Foram US$ 86,00 + R$ 125,00 (dos Correios do Brasil, da chegada do produto à minha cidade - Região Sudeste). Dá, ao todo, uns R$ 300,00. Mas foi o presente que me dei de Natal (a compra foi em 17/12).

Outras coisas que a Dani perguntou - forma de pagamento? Cartão de crédito internacional. Fala inglês? Sim, arranho. Mas o tradutor do Google pode ser uma ajuda e tanto.

Agora é testar mesmo. Tô colocando fé e acho que vai dar certo. Dedinhos cruzados por mim. Depois conto os detalhes.


Miiillllll beijooooossss

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Muito esclarecedor

Outra ótima fonte de informação é o site Perineo.net.

O link para acessar a página sobre vaginismo (muito esclarecedora mesmo) é
http://www.perineo.net/conteudo/vaginismo.php.

Inclusive há a informação de que dúvidas são respondidas em até cinco dias, o que é verdade, visto que enviei uma pergunta, e o dr. Gustavo F. Sutter Latorre respondeu prontamente. Muito bom!

Vale a pena.

Site novo

Amigas,

Nasce um site novo sobre terapia sexual e vaginismo. É da terapeuta Fátima Protti, de que já falei por aqui. Ela é uma das escritoras do livro "Vaginismo: quem cala nem sempre consente". Pra conferir: www.fatimaprotti.com.br.



Beijos a todas

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O que é virgindade afinal?

Você é virgem? Se me perguntarem isso, sinceramente não sei o que dizer. Nunca consegui ser penetrada. Então, tecnicamente sou virgem. Mas já tive relações sexuais (envolvimento, carícias, preliminares, sexo oral...), então não sou! Além disso, não tenho mais hímem, retirado numa cirurgia na tentativa de me ver livre do vaginismo, o que, obviamente, não deu certo.

Enfim, ser ou não virgem depende da visão de cada um(a). Não me considero virgem, mas ao mesmo tempo não me sinto uma mulher completa, madura. Isso claro mexe muito com outros aspectos da minha vida, me frustra, me amarra.

Fiz uma enquete aqui no blog. Oito visitantes responderam que são virgens. Outras três disseram que não são virgens. Todas sofrem com o vaginismo. Agora, tem outra pergunta no ar. Tomara que respondam.

Um beijo e ótima semana!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Tudo sobre vaginismo

Adorei o site http://www.perineo.net/conteudo/vaginismo.php. Muitas informações, ilustração... Quem sofre com vaginismo vai gostar.

Um dos pontos positivos é o link sobre a Musculatura do Assoalho Pélvico (MAP) para exercícios que ajudem na penetração.

Rumo à cura!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Vaginismo em site

Mais dicas de matérias sobre vaginismo. Achei bem eclarecedoras.
Os endereços: http://www.sexoerelacionamentos.com.br e
http://www.atrevidax.com/2010/01/quando-elas-nao-conseguem.html.


Bjs

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Matéria em Portugal

Uma das amigas que participam deste blog deu entrevista para um jornal de Portugal. E ela enviou o link para compartilhar comigo (e com todas, claro). Além do texto, tem vídeo. Confiram:
http://aeiou.expresso.pt/sexo-quando-elas-nao-conseguem=f556692.

Parabéns, amiga, pela coragem e pela disponibilidade em ajudar as outras pessoas. Estou orgulhosa!

sábado, 9 de janeiro de 2010

Enquete no Orkut

Há algum tempo criei um perfil e uma comunidade no Orkut. É mais uma forma de divulgar o vaginismo, e a cura dele. Lá, há duas enquetes: uma pergunta se a participante conta pra outras pessoas que sofre com vaginismo, e a outra se ela tem ideia do que pode ter causado o problema.

No Orkut, o perfil é Amor Perfeito e a comunidade é Sofro com vaginismo. O link é
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=96707608.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Sofrimento em silêncio

Sim, a cada dia mais amigas têm me procurado. Acho que, nesse período do blog, já são umas dez. Em pouco mais de três meses. Gente, não entendo por que não se pesquisa melhor essa questão.

Uma amiga falou, dia desses no seu blog*, que de vez em quando se via pensando se as mulheres que encontrava na rua, no ônibus, em qualquer lugar, também não tinham vaginismo. Afinal, ninguém sabia que ela sofria! Respondi que já me peguei pensando o mesmo, afinal ninguém sabe que eu sofro.

A sexóloga que me atendeu falou que tem várias pacientes com o mesmo problema, e que, possivelmente, no meu círculo de conhecimento outras tantas deveriam viver a situação. Há uma estimativa de que até 6% das mulheres passam por isso. É muita gente!

Acordem, médicos, psicólogos, mídia, professores, pais e mães de família! Há um problema sério, que afeta a estima, o psicológico, o físico, o destino de mulheres (e homens) todos os dias! E essas pessoas sofrem ca-la-das! São casamentos desfeitos, vidas que nem sequer começam por conta disso. O assunto é sério. E nós sabemos o quanto.

* Pedi autorização, e minha amiga autorizou a divulgação do link do blog (http://vaginismominhahistoria.blogspot.com). Beijos e obrigada, amiga!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Revista respondeu

Com o firme propósito de colocar vaginismo nas revistas, na TV, nos sites e onde mais for possível, continuo enviando sugestões a esses meios. E a revista Woman's Health respondeu, dizendo que vai avaliar. Tô na torcida! Vamos tirar esse véu sobre o problema. Quanto mais gente souber do que se trata, menos gente vai sofrer anos a fio.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Posts antigos valem a pena

Não viu posts antigos neste blog? Vale a pena conferir. Tem muita informação que pode ajudar no processo de superação. Já comentei sobre dilatadores, hímem, parceiro, vídeos, livros e outros tópicos.

Troca de experiências, cura e sonhos

Não sei quanto a vocês, mas quando fui me dando conta de que não conseguia uma relação sexual me senti uma ET (perdoe se o termo foi forte demais!). Eu pensava: gente, tem menina de 13, 14 anos que tem filho, e eu não consigo NADA.

Por isso a troca de experiências é importante. Já disse neste blog: em qualquer fórum de vaginismo, os relatos são MUITO iguais. Parece a gente lendo a gente mesmo. Num dos primeiros a que tive acesso, chorei enquanto lia as mensagens. Falava: é o que eu passo, o que eu sinto, o que eu vivo.

No último post, recebi mais um comentário de cura. É muito bom saber que é possível. E quanto mais cedo a gente arregaça as mangas, faz exercícios, trabalha a cuca, enfim se propõe a superar melhor. E quem fala isso, minha gente, é uma mulher que sofreu muito com o vaginismo, ouvindo humilhações (inclusive) e vendo terminar o casamento com o homem que amava.

Hoje, divorciada, só quero me curar. Se, um dia, vier um homem que valha a pena, estarei preparada. E, se houver tempo (tenho fé de que Deus tudo sabe), pode até surgir a oportunidade de realizar meu grande sonho: ser mãe.

Beijos a todas e muita força em nome da superação e da cura

E não se esqueçam de participar para promover essa troca de experiências!

sábado, 2 de janeiro de 2010

Ano novo, vida nova

Olá!

2010 começou muito feliz! Sei que já disse isso, mas estou muito confiante e principalmente em paz.

Fico feliz também com a troca de experiências que o blog tem me proporcionado... Conheci outra amiga (sim, gosto de chamar de amiga!) que tem vaginismo e é quase da minha idade (uns três anos mais nova). Sem falar numa amiga antiga que também tem escrito em particular e em seu blog, contando como superou o problema. Meninas, união ajuda e muito. E fiquem sabendo todas: este ano promete muita coisa boa!